Quiropraxia Geriátrica

No Brasil, a faixa etária acima de 60 anos é a que mais cresce em termos proporcionai

A quiropraxia trata das subluxações melhorando a mobilidade

No Brasil, a faixa etária acima de 60 anos é a que mais cresce em termos proporcionais. Dados da Organização Mundial de Saúde – OMS 2002, indicam que, entre 1950 e 2025, a população de idosos no Brasil crescerá 16 vezes contra cinco vezes o crescimento da população total.

O envelhecimento é conceituado como um processo dinâmico e progressivo no qual há modificações morfológicas, funcionais, bioquímicas e psicológicas que determinam perda da capacidade de adaptação de um indivíduo ao meio ambiente, ocasionando maior vulnerabilidade e maior incidência de processos patológicos.

O protocolo de atendimento é semelhante ao dos pacientes jovens, com algumas modificações relacionadas à idade, utilizando-se menos força e contato mais amplo e em alguns casos é recomendado a utilização de procedimentos manuais, mecanicamente assistidos por instrumentos, respeitando a tolerância de cada paciente.

A Organização Mundial de Saúde estabeleceu como limite divisório entre o adulto e o idoso, nos países desenvolvidos a idade de 65 anos, e nos países em desenvolvimento, a idade de 60 anos.

A alteração degenerativa da unidade articular dá-se em uma seqüência chamada de espondilose vertebral, observada na grande maioria dos indivíduos com 55 anos ou mais. Estas alterações podem incluir a deterioração das articulações zigoapofisárias espinhais, a perda da altura das vértebras, o estreitamento do canal espinhal ou forame neural, a perda do espaço do disco intervertebral, as pontes ósseas e a calcificação do tecido conjuntivo periarticular. Clinicamente, essas alterações podem causar dor lombar generalizada e específica, comprometendo certas áreas de dor à palpação pontual, e redução dos movimentos da coluna vertebral.

Outras modificações importantes que ocorrem com o envelhecimento são as alterações posturais causadas pela flexão da coluna cervical; diminuição da largura do passo e dificuldade para levantar a perna, com tendência a arrastar o pé; aumento do tecido adiposo; aumento do tecido conjuntivo, que colabora para o encurtamento da musculatura, dificultando o movimento.

Existem três fatores principais para prevenir a artrose:
Dieta balanceada: uma das desordens que está diretamente ligada à artrose é a obesidade, com a sobrecarga se tem um desgaste muito maior da articulação devido a maior absorção de impacto.
Exercício físico: o maior sinal de saúde para as articulações é o movimento, com o exercício físico melhora e preserva o macro movimento das articulações e melhora a saúde em geral, como a maior produção de liquido sinovial, este liquido lubrifica a articulação para uma melhor congruência, melhora da circulação e condição respiratória. O exercício pode ser desde uma caminhada continua de 20 a 30 minutos até uma academia frequentada regularmente tomando cuidado com exercícios de grande impacto.
Quiropraxia: a quiropraxia trataria das subluxações melhorando assim os micro movimentos da coluna vertebral e das articulações de membros superiores e inferiores, melhorando a mobilidade da articulação e prevenindo desgastes por falta de movimento.
Praça Saens Peña, 55 - Sala 408 - Tijuca
CEP: 20520-090
Rio de Janeiro/ RJ
(21) 3471-5853
contato@julianapiva.com.br
(21) 9 8624-6035

Redes Socias